01 outubro 2010

Sigo

É de pedra, só de pedra, o chão por onde passo

Das mazelas, e é só mazelas, em vão me afasto

Do que me resta, muito pouco resta, não me desfaço

Sigo

Jô Perrout

Ando me encorajando a escrever . . .

Nenhum comentário:

Postar um comentário